terça-feira, 29 de dezembro de 2009

FLORESTA ESMERALDA: Informações de Jogo

VILA ESMERALDA: Situada na entrada da Floresta Esmeralda, a vila surgiu de uma tribo de caçadores que chegou à clareira na entrada da floresta a cerca de 200 anos atrás, e tem prosperado desde então.

Esses humanos adoram a Obad-Hai, e embora a maioria deles não saiba o que há no interior da misteriosa Floresta Esmeralda, as tribos élficas sabem da sua existência e preferem evitar qualquer tipo de contato.

Mas às vezes as coisas fogem do controle...

Há 32 anos atrás, a filha do ferreiro da vila se perdeu na floresta, e reapareceu depois de 3 dias dizendo que foi salva por um lindo rei elfo. A garota tinha 13 anos, e seus pais acharam que ela teria delirado estando tanto tempo perdida na floresta. Porém, ela passou a desaparecer com freqüência, até que 2 anos depois deu à luz a gêmeos, e nunca mais voltou à floresta. Hoje, com 46 anos, Valéria (GUE 9) é a melhor ferreira da Vila Esmeralda, e seus filhos viajaram há cerca de 16 anos “para aprender coisas novas sobre o mundo”.

Também nessa época, surgiram na vila alguns elfos, que reforçaram a lenda de que a Floresta Esmeralda é encantada, e possui criaturas mágicas como elfos, fadas e bruxas. Porém, como esses elfos se tornaram habitantes respeitáveis da vila, as pessoas se acostumaram a eles e não procuraram saber sua origem.

A pequena Lia Näilo (MAG 1) chegou à Vila Esmeralda no mesmo período, e foi adotada pelo Mago Thimoty (MAG 9), professor da Escola de Magia, de quem cuidou até sua morte com 103 anos, ocorrida 2 dias antes da chegada dos PJs. Dizem que Lia, com seus poderes de elfa, retardou a morte de seu protetor.

O Capitão da Guarda, o meio-elfo Julian Galanodel (GUE 3), é filho do General Alexander (GUE 10) com uma encantadora elfa também chegada na vila há cerca de 30 anos atrás. Alexander, então com 23 anos e Capitão da Guarda do Rei, desposou Mialee Galanodel (MAG 6) 8 meses depois que ela apareceu em sua fazenda pedindo abrigo e comida. Julian tem 29 anos, mas suas habilidades com arco e espadas já se mostraram superiores às da maioria dos guerreiros da vila (exceto seu pai, Valeria e o próprio Rei Mikael), lhe rendendo um alto posto na milícia local.

Um dos acólitos do Reverendo Sullivan (CLE 9), o meio-elfo Raphael (CLE 1), nasceu há 23 anos. Sua mãe, uma feiticeira que vivia numa cabana fora dos limites da vila, morreu ao dar à luz, mas antes deu-lhe o sobrenome de Liadon, dizendo que assim se chamava seu pai, que seguiu em direção à Floresta Esmeralda antes do seu nascimento, e nunca mais voltou.

Todos sabem da lenda da Fortaleza Perdida dos Anões, mas como os aventureiros que se arriscaram pelo Pântano Sombrio nunca voltaram (o único sobrevivente voltou dos pântanos cego e louco), eles acham que a Fortaleza nunca existiu, ou foi destruída junto com os anões.

Alguns (os elfos, meio-elfos e os poucos humanos que têm contato com eles) conhecem as lendas sobre os elfos, fadas e bruxas da floresta, e poucos (alguns elfos) sobre o Lago das Ninfas, que guarda a chave de um grande tesouro. Mas essas lendas não são contadas, e se o fazem geralmente suas histórias são assustadoras o suficiente para desencorajar qualquer aventureiro que queira se arriscar a penetrar na Floresta Esmeralda e atravessar o Pântano Sombrio em busca de tesouro nas Montanhas Brancas, das quais ninguém voltou sem graves seqüelas.


 ESTATÍSTICAS:

Vila Esmeralda.
Divindade: Obad-Hai
Domínio: Plantas, Animais
Tendência: Leal e Bom
Personagens Importantes: Mikael GUE 13 (Rei), Alexander GUE 10 (General), Sullivan CLE 9 (Reverendo do Templo de Obad-Hai), Mialee Galanodel MAG 6, Julian Galanodel GUE 3 (Capitão da Guarda), Valeria GUE 9 (Ferreira), Lia Näilo MAG 1 (Aluna da Escola de Magia), Raphael Liadon CLE 1 (Acólito do Templo de Obad-Hai).
Pop 1.208: 1 GUE 13, 1 GUE 10, 1 CLE 9, 1 MAG 6, 1 GUE 3, 1 CLE 3, 9 GUE 1, 3 MAG 1, 5 CLE 1, 220 COM, 180 ARQ, 40 GUA, 745 PLE.

Informações para mesa de D&D 3.5

sábado, 26 de dezembro de 2009

Conversa Afiada

Mudando um pouco de assunto, ou "urubuservando a situação"... Encontrei esse vídeo no blog de Paulo Henrique Amorim e achei bastante interessante, até porque Lula fala a mais pura verdade. Pude, e posso, ver os resultados disso no meu trabalho, e realmente o cara fez o Brasil crescer. Não sou do PT, mas votei em Lula nas últimas eleições (não só nas duas que ele ganhou), e não me arrependi. Além do mais, ele está investindo em Camaçari, que além de sediar a fábrica da Ford, é o maior polo petroquímico da Bahia. E cá entre nós, quem paga suas dívidas certinho todo o mês são os pobres mesmo...


quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O Mundo de Ponta Cabeça (1649)

Balada épica sobre os "diggers" (cavadores) ingleses em 1649. Os cavadores eram camponeses radicais que defendiam o fim da propriedade, da Igreja e do Estado monárquico. Quando eles se levantaram, o "mundo ficou de ponta cabeça". Eram bons tempos, onde ficar de ponta cabeça queria dizer provocar uma mudança significativa na sociedade. Ponta cabeça hoje é se dar conta de que para botar o pé no chão, tem que ter asas.

Em 1649
Na colina de St. George
Um grupo de maltrapilhos chamados de "Cavadores"
Vieram para mostrar a vontade do povo

Eles desafiaram os latifundiários
Eles desafiaram as leis
Eles eram os que não tinham nada
Reclamando pelo que era deles

Nós viemos em paz, diziam eles
Para cavar e semear
Nós viemos trabalhar a terra comum
E para fazer a terra seca florir

Essa terra dividida
Nós faremos ser uma só
Para que então possa ser
Um tesouro comum para todos.

O pecado da propriedade
Nós desdenhamos
Ninguém tem o direito de comprar e vender
A terra para seu próprio ganho

Foi por roubo e matança
Que eles tomaram a terra
Agora em todos os lugares os muros
Erguem-se aos seus comandos.

Eles fazem as leis
Para nos bem aprisionar
E a Igreja nos confunde com o céu
Ou então nos amaldiçoa com o inferno

Nós não vamos adorar
O Deus que eles servem
O Deus da cobiça que alimenta os ricos
Enquanto homens pobres passam fome

Nós trabalhamos, nós comemos juntos
Não precisamos de espadas
Não nos curvaremos para mestres
Ou pagaremos aluguel aos senhores

Nós somos homens livres
Ainda que sejamos pobres
Que todos os Cavadores se levantem para a glória
Levantem-se agora

Diante dos homens de propriedade
As ordens vieram
Eles mandaram os capangas e os soldados
Para apagar com os desejos dos Cavadores

Arrebentando com suas casas
Destruindo o seu milho
Eles foram dispersados
Apenas sua visão prevalece

Pobres, tenham coragem
Ricos, tomem cuidado
A terra foi feita como um tesouro comum
Para todos dividirem

Todas as coisas em comum
Todos por um
Viemos em paz
E a ordem veio para com eles acabar

domingo, 20 de dezembro de 2009

Crônicas Vampirescas

Já que a moda agora são os vampiros, recomendo a vocês dois filmes sobre o assunto, inspirados em três das Crônicas Vampirescas de Anne Rice: "Entrevista com o Vampiro", "O Vampiro Lestat" e "A Rainha dos Condenados". Os filmes, Entrevista com o Vampiro e A Rainha dos Condenados, trazem vampiros de centenas e até milhares de anos ao nosso tempo, mais precisamente ao século XX. Estes sim, são vampiros de verdade, que vêem seu poder, sua sabedoria e sua crueldade aumentar no decorrer dos séculos, sofrendo todas as desventuras da imortalidade. Parafraseando o Queen na trilha de outro filme famoso sobre o tema, "who wants to live forever?"

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

"Chupa que é de uva!"

Excelente piada do Casseta! Ela exprime meus mais profundos sentimentos (e gargalhadas) em relação à série "Prepúsculo", com seus vampiros-purpurina e lobisomens de mentira:


domingo, 13 de dezembro de 2009

Crônicas do Mundo Emerso


As Crônicas do Mundo Emerso, de Licia Troisi, uma escritora italiana, contam as aventuras de Nihal, última sobrevivente da extinta raça de semi-elfos, e de seu amigo, o mago Senar. Uma boa trilogia fantástica, de narrativa leve e história interessante, fugindo um pouco do tradicional universo "Terra Média". Abaixo, os livros da trilogia: A Garota da Terra do Vento, A Missão de Senar e O Talismã do Poder.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Dá-lhe, Marceleza!!!

Voltando ao assunto música baiana, eu ouvia muito o Camisa de Vênus quando era adolescente, e ainda gosto, mesmo que a banda não esteja mais na ativa. E quando eu vejo o Marcelo Nova em situações como essa, não posso deixar de rir muito. Queria ver a cara do sujeito que se meteu a entrevistar esse figura, se é que ele não a enfiou em algum lugar depois dessa. Chego a ter pena do coitado... Mas também, olha só as coisas que ele foi perguntar pro cara!! Confiram no link abaixo, e vejam se não tenho razão...




http://www.metropoletv.com.br/index.php?id=VFdwRk13PT0

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Siolli V

Em meu peito de pedra, foi esculpido um nome a brilhar...

O meu coração se fez em pedaços, em pequenos grãos de areias ao te ver partir.

O furacão levou os cacos e outros novos, vieram com a chuva do ar.

E o meu sonho em nuvens, em neblinas, é de se transformar.

Agora o vento é senhor do meu destino

E os meus caminhos...

Foram entregue a brisa, brisa que vai para o mar.


Edson Siolli

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Mulher

Sou uma mulher.
Escovo meus cabelos por comodismo, mas odeio depilar as pernas.
Não faço as sobrancelhas porque meus óculos escondem tanto elas como minhas olheiras.
Então também não preciso de maquiagem.
Até que eu gosto de saias, mas não sei me comportar com elas.
Ainda não aprendi a andar de salto, por isso eu uso tênis.

Mas eu sei chorar baixinho no escuro do quarto.
E sei fazer carinho como ninguém.
Gosto de histórias e histórias.
Sei contar e ouvir também.
Peço pra lua me trazer um amor.
E beijo seu rosto quando você está dormindo.

Isso e tantas outras coisas porque
Sou uma mulher.

By ANGEL

domingo, 6 de dezembro de 2009

Raul é documento (ou será documentário?)

Não gostei do documentário sobre Raul Seixas, o "Por toda minha vida", da Globo. Muito melhor que ele é este que encontrei no youtube. Bem mais completo e menos piegas...













sábado, 5 de dezembro de 2009

Siolli IV

Um ser míope, és meu coração
dentro deste homem infame
onde as meninas do teu olhar
traz a lástima desta melodia
E ao ser embelezado com a sua presença

Ha pequenos momentos de satisfação
minados de insegurança
Se este corpo a outras oferto
será frio, sem pulso e batimentos.

um ser míope, és meu pulmão
e ao inalar tua presença
Ver migrar sentimentos, como migra o vento
dono de todos os lugares
Qual diva me aguardará??
Nem sabe o amor fictícios
Que para ela ofereço
E este entusiasta que sou
nem acreditava no amor.



Edson Siolli

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A Lenda das Jóias das Fadas

“Há quase 10.000 anos atrás, um ranger elfo apareceu no Lago das Ninfas, e se aproximou de uma delas com os olhos vendados Pediu para conversar com a fada, e em pouco tempo eles se tornaram amigos. Passeavam pelo Vale Encantado, rindo e conversando, mas ele sempre se dirigia a ela de olhos fechados. Um dia, ela perguntou:

– Por que não me olhas?

– Porque tenho medo.

– Tens medo de mim?

– Não de ti, a quem eu quero bem, mas da tua beleza, que cega e mata.

– Não fales assim! Jamais o cegaria! Abra os olhos, veja como sou linda!

O ranger obedeceu, e contemplou a beleza da ninfa sem sofrer qualquer dano. Naquele momento, o Rei Amakiir da Tribo dos Elfos da Floresta apaixonou-se pela ninfa Eilën, e os dois começaram um romance que despertou a ira de Ondine, Rainha das Ninfas, mãe da pequena fada. A Rainha do Lago baniu a filha do Vale Mion. O rei elfo desposou Eilën, e ela se tornou a Rainha da Floresta Esmeralda. Ondine, furiosa, perseguiu Amakiir até matá-lo nas Montanhas Negras, que a partir desse dia passaram a se chamar Montanhas da Morte. Eilën teve filhos gêmeos, mas fora do lago a ninfa não resistiu ao parto e morreu poucos dias depois do nascimento dos bebês. Estes cresceram entre os elfos da floresta, e o garoto tornou-se um ranger poderoso, enquanto sua irmã se tornou a primeira druida da Floresta Esmeralda.

A Rainha Ondine, quando soube da morte de sua filha mais velha, arrependeu-se da sua crueldade, e criou três gemas mágicas, com as quais mandou fazer três medalhões: O Medalhão de Safira para Siannodel, Rei da Tribo dos Elfos das Montanhas; o Medalhão de Esmeralda para os gêmeos Amakiir, Chefes da Tribo dos Elfos da Floresta; e o Medalhão de Rubi para Halakiir, Rei da Tribo dos Elfos Drows do Subterrâneo. Cada jóia foi entregue ao soberano da sua tribo, com a promessa da Rainha do Lago de que as ninfas e os elfos doravante seriam aliados, e lutariam juntos para preservar a paz e harmonia dos vales e montanhas onde coabitavam.

De posse do medalhão, cada soberano elfo deveria voltar ao Lago das Ninfas sempre que precisasse de ajuda. Porém, as gemas mágicas só reconheceriam como portadores os elfos a quem foram destinados, ou seus descendentes. Qualquer outra pessoa que tentasse levar um medalhão ao Vale Encantado sem ser o seu legítimo dono, seria morto por ele no caminho. Uma vez ativada, a gema drena a energia vital de qualquer impostor que tente levar a jóia de volta ao Lago das Ninfas.

Mas um dia os anões chegaram na Floresta Esmeralda, cavando túneis e profundas minas nas montanhas. Construíram sua fortaleza escondida, e mudaram para sempre a relação entre os elfos. Suas riquezas despertaram cobiça, e em pouco tempo tornaram-se inimigos dos drows. Iniciou-se então uma guerra entre as tribos, e dessas contra os anões, e em meio à ganância de todos, os Medalhões das Ninfas se perderam, e a Antiga Aliança foi esquecida.”



Trecho de FLORESTA ESMERALDA

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Sleeping Sun - Nightwish

Tive várias fontes de inspiração quando comecei a escrever Arabella, desde livros e músicas a jogos de PC e RPG. Uma delas foi esse vídeo do Nightwish, feito em 2005 quando a banda regravou Sleeping Sun. Enjoy it: